NOME

Glasnost

Dar nome para algo é muito complicado, o nome de um produto, de uma empresa, é um grande desafio. Lembro quando foi para escolher os nomes das minhas filhas, que função, muitas leituras de publicações sobre nomes e seus significados, imaginações mil sobre que nome poderia ser legal, uma viagem só. Gosto dos nomes que escolhemos, embora nunca tenha a certeza se elas também gostaram. Nos acostumamos com os nomes das coisas, mesmo que eles possam parecer estranhos a princípio, pois, depois de familiarizados com eles nem estranhamos, lembro de empresas como Mesbla, Renner, Oderich, provavelmente, se fosse pelos nomes talvez essas empresas jamais se tornariam conhecidas.

Desde que comecei a me aventurar neste mundo virtual da internet, sempre me preocupei em dar um nome “legal” para as coisas que pensava criar, talvez por imaginar que o nome poderia fazer a diferença, poderia chamar a atenção para além do conteúdo, pensava em algumas experiências que achava legal, tipo “Kibe Loco”, “O Sensacionalista”, “O Bairrista”, “Mídia Ninja”, “Catraca Livre”, e tantos outros nomes interessantes. Porém, com o tempo e refletindo um pouco – Claro que os especialistas no assunto provavelmente não vão concordar – cheguei a conclusão que se o nome não é bom, mas o conteúdo é, com o tempo as pessoas assimilam o nome, porém, se o nome é bom e o conteúdo é ruim, as pessoas se frustram pois a expectativa não é correspondida.

Meu primeiro blog tinha o nome de Testemunha Ocular, pois tinha muito a ver com a minha profissão de Repórter Fotográfico, embora o espírito fosse o mesmo, da relação das coisas que vejo, quando pensei em fazer outro, mais ampliado – achava o anterior muito pessoal, queria que esse fosse mais amplo, com outros colaboradores – pensei que deveria ver um nome mais impessoal, mais universal, quiçá mais criativo.

Pensei em algo em outra língua, porém não queria em inglês, pois confesso, por vezes me incomodo com essa overdose de termos em inglês que temos em nossa sociedade. Procurei buscar em outras vertentes.

Cheguei na palavra russa Glasnost (Гласность), que significa Transparência/Publicidade – Há variações nas traduções.   

Sou um jovem da década de 80, período de guerra fria, onde ainda havia uma divisão de denominações entre primeiro e segundo mundo, o primeiro os países capitalistas, representados pelos EUA e seus aliados, e o segundo, capitaneado pela URSS – União das Repúblicas Socialistas Soviéticas – e seus aliados.

A União Soviética, seu regime, sua história sempre foram uma referência para o jovem que fui. Entre os locais mais significativos que visitei no mundo estão a “Praça Vermelha”, o “Mausoléu de Lenin” e o “Kremlin”, em Moscou.   

O termo Glasnost ficou conhecido mundialmente durante a Perestroika, que foram as reformas praticadas por Mikhail Gorbachev na União Soviética, no final da década de 80, e significavam o processo de “abertura”, de “transparência” que estavam sendo empreendidas no sistema soviético, muito fechado na época, fruto da disputa com o EUA onde a espionagem predominava.

Após a Perestroika, o termo Glasnost ficou associado à “liberdade de expressão”, e dentro deste espírito ele foi escolhido como nome deste blogue.   

Logomarca

A logomarca foi criada pelo competente Endrigo Valadão, que sintetizou na transformação do G em vírgula ou aspa, as intenções que motivaram a criação deste blogue.